sexta-feira, janeiro 11, 2008

O Caça Talentos

Neste mês de Janeiro está a realizar-se, nas diversas zonas do país, os chamados Estágios de detecção de talentos.

A ideia poderá ser considerada boa, mas na prática, como já a ser executado apenas dá aos "talentosos" uma visão desfocada da realidade da carreira desportiva. Por outro lado, não está direccionada para quem pode ajudar esses miúdos com talento, ou seja o treinador.

Este projecto da Federação tem vários problemas, destaco apenas três problemas:
O primeiro: considero o esquema de escolha demasiado rígido até cristalizado (p. ex. não permitiu que quem evoluísse entrasse a meio). Deveria ser evolutivo.

O segundo problema, tem uma base de trabalho com jovens muito estreita (corre-se o risco de dar a "paranóia" a um miúdo e ficamos sem ninguém porque andamos apenas a trabalhar com dois ou três deles. Já não é aprimeira vez!!!). Não se preocupa com a promoção e incremento da modalidade nestas idades. Eles ainda não sabem, sequer, se querem fazer disto vida. Direcciona a formação precoce o epiteto de "Vedetas". Repare-se que nos critérios mínimos definidos chega-se ao cúmulo de falar em "Excelente". Pergunto: nestas idades andam à procura de quê? Precocemente andam a meter minhocas nas cabeças dos miúdos que mais tarde os levam ao abandono ou à frustação, ao trauma.
(quanto ao incremento da modalidade p. f. ver: www.idesporto.pt/CONTENT/4/4_5/Docs/Filosofia.pdf

http://desportoinfantil.blogspot.com

Terceiro problema:
Não se preocupa com a qualidade dos treinos, isto é, negligência a prática realizada pelos treinadores nos clubes. Querem olhar só para o produto final: os talentos.

O Cristiano Ronaldo foi logo o melhor ou teve que "amargurar" e trabalhar muito para agora estar entre os 3 eleitos?

Podemos ter atletas muito talentosos, mas tudo falhará se não houver treinadores capazes para trabalhar os futuros "diamantes" (sabe-se que um diamante que não seja muito bem lapidado não passa de uma misera pedra sem qualquer valor).

É, por isso, necessário formar treinadores (lapidadores). E formar todos os treinadores que estejam interessados e não apenas quem tem miudos com jeito. Por vezes, o jeito dos miudos só é preceptível mais tarde.

A modalidade não avança de forma sustentada se não tivermos treinadores informados e atentos aos processos de crescimento e maturação dos jovens, às suas motivações para a adesão e permanência na patinagem artística.

Este tipo de acções deveriam alargar a base dos atletas e treinadores (para da quantidade ir buscar a qualidade). Vai logo para a qualidade (inverte a pirâmide).
Deveria ser direccionada para uma sensibilização dos jovens atletas e treinadores das exigências e necessidades do que virá, ou seja o Alto Rendimento.

Para se chegar ao Alto Rendimento existe um caminho longo e dificil com muitos sacrifícios. Mas para se chegar ao Topo só alguns lá chegam.

Este projecto dos Novos talentos não permite crescer em quantidade, dá preferência ao elitismo precoce, não prepara os jovens e seus treinadores para uma carreira desportiva (que se quer longa).

Admito a boa vontade das pessoas responsaveis pelo projecto dos Novos Talentos, mas para mim parece-me que o caminho escolhido é um beco. E bem escuro ...

3 Comments:

Blogger Patinar-Prazer said...

Regulamento técnico 2008 em:

http://fpp.pt/ficheiros/pdf/patinagem-artistica/regulamentos/RegulamentoTecnico.pdf

Leiam até à última página...

2:49 da tarde WET  
Blogger Roller said...

NOVOS TALENTOS-MARCO 2007


Muitas PEDRINHAS
Poucos DIAMANTES

Lapidadores(Competentes)precisa-se URGENTE

12:56 da tarde WET  
Blogger Andreia Nunes said...

Saber ensinar transmitir e estimular a arte de patinar é uma tarefa que não é para todos.Há muitos atletas que não são aproveitados por estes motivos,o que torna essa situação lamentável.

2:14 da tarde WET  

Enviar um comentário

<< Home

Free Hit Counters
Free Counter