segunda-feira, setembro 11, 2006

Vamos dar uma Democracia à FPP ?

O programa do prós-e-contras, na RTP, relativo ao polémico “Caso Mateus”, o antigo ministro do Desporto (António Arnaut, agora eurodeputado) disse que:
A UEFA (União de Associações de Futebol Europeias - em inglês Union of European Football Associations - que é o órgão administrativo e de controle do futebol europeu) foi alvo de um estudo de um grupo de deputados do Parlamento Europeu.
E chegaram à conclusão que um dos maiores problemas daquela entidade era: a forma como funcionava fechada aos escrutínio público e da ausência de mecanismos verdadeiramente democráticos de legitimação a vários níveis.

Ou seja, foi diagnosticado que aquela instituição não agia de uma forma democrática e transparente.

Uma vez tornado público esse diagnostico, os dirigentes da UEFA assumiram que iriam avançar com alterações no sentido de a transformar num organismo mais democrático e transparente.

Essa posição da UEFA, fez-me pensar, o que acontece em Portugal com a calma e a negligência que reina nos status da FPP.
Ao pensar na forma como a nossa Federação funciona até me dá arrepios.

A forma como ela se estrutura é manifestamente anti-democrática. Os seus órgão são eleitos de forma indirecta por entidades que, por sua vez, também não são transparentes nas escolhas. Ou seja, movem-se entre si vários interesses e favores.

Assim, no meio deste processo de caciques, basta controlar três ou quatro Associações e já se consegue chegar ao poder.

É por isso que este tipo situações devia ser alterado.
Como?

O que actualmente existe faz lembrar os ditos regimes democratas em que o chefe não tem ninguém a concorrer com ele.
Porquê? É assim tão dificil encontrar uma pessoa?
A razão é simples: ninguém consegue fazer todo o “caminho das capelinhas” necessário para liderar um projecto sério e independente.
Esta Federação é um género de "Monstro burocrático", onde os interesses são o seu alimento favorito.
É por isso que não se consegue implementar qualquer projecto novo.

Por isso, sempre que o líder sai há um vazio no poder (Salazar só foi substituido porque caiu da cadeira).

Se olharem bem para os regulamentos verificam que não são os clubes que votam. Não é o Povo que elege.
Quem vota são os "Pequenos Monstros burocráticos" (Associações), os quais, por sua vez, têm "agentes politicos" estrategicamente posicionados para dar cobertura ao lider.

Só assim se percebe algumas preferências e movimentações na Patinagem Artistica que, muitas vezes, serve de moeda de troca para outros interesses ...

6 Comments:

Anonymous ? said...

À semelhança (ou não) dessa situação com o futebol português... Imaginem por ex. um campeonato que corre mal e o atleta X é prejudicado.
Tanto quanto sei os interessados em repor a justiça relativamente ao atleta X devem apresentar o caso por escrito à FPP, certo?
E, tanto quanto sei, isso não serve de muito! Com ou sem razão, nada é feito para repor a justiça.
Então e se se recorresse aos tribunais?
(Um balúrdio em advogados, eu sei! Uma carrada de chatisses, é verdade.)
Mas é uma alternativa...

Isto faz sentido para alguém?

3:50 da tarde WEST  
Anonymous Alexandra Ribeiro said...

para mim é preciso arranjar as pessoas certas.

só com foruns como este (parabens ao autor) é que se consegue encontrar pontos comuns entre todos e assim encontrar as pessoas certas para alternativas crediveis.

Não é por acaso que já há nos Estado Unidos comunidades que se estão a formar (através da net) para defenderem um bem comum. No nosso caso seria a Patinagem Artística em Portugal.
E isto fará sentido?

4:47 da tarde WEST  
Blogger patinador said...

Do meu ponto de vista, a questão que é colocada pelo comentador "?" não pode ir para os tribunais comuns. Por se tratar de um diferendo estritamente desportivo.

A Lei de Base do Sistema Desportivo só permite o recurso ao Tribunais comuns se a questão a dirimir for de outra índole.

4:52 da tarde WEST  
Anonymous Anónimo said...

A federação é uma democracia dentro da lei aprovada pelas associações.
Agora essa lei é correcta e serve os interesses dos clubes?..isso é outro ponto..
Não acredito que alguma coisa mude em relação a este aspecto nos próximos anos dado que quem manda na federação é o hóquei, a patinagem tem um poder muito pequeno.

11:50 da tarde WEST  
Anonymous Patim said...

O poder das modalidades é relativo.
Na organização da patinagem não estou a ver o hoquei opinar!
Já alguma vês um clube ou associação de clubes de patinagem apresentou algo?
A patinagem artistica só é moeda de troca porque a inércia dos dirigentes ligados á patinagem assim o deixam.
Os clubes que exigam pessoas competentes, na area da patinagem artistica, nas associações.
Só para exemplo: como é que uma associação (com as 3 modalidades) pode funcionar e representar condignamente os seus clubes quando essa associação é apenas uma pessoa? Porque motivo um treinador prefere inscrever os seus atletas a quase 300km da sua terra!

Talvez menos associações com mais gente competente? uiii pois é!!!

Ai dou razão ao Blogger, quanto mais associações existirem mais é possivel de aparecerem "Monstros burocráticos". E no meu ponto de vista a FPP só controla as Associações amorfas que tanto se lhe dá como se lhe deu, desde que o dinheiro apareça para ir enchendo o saco.
Tentemos combater! Com a escrita.

2:22 da manhã WEST  
Anonymous ? said...

Mas sendo um diferendo estritamente desportivo ao qual a federação não é capaz de dar resposta diferente de: "É comer e calar!" não há forma de recorrer a outra instituição superior à federação?

3:23 da tarde WEST  

Enviar um comentário

<< Home

Free Hit Counters
Free Counter