quinta-feira, março 22, 2007

Nacional de Show e Precisão- 2007- 17 e 18 Março

Um estimado leitor (Choctaw- sugestivamente será um "passo" onde o patinador muda de pé, de direcção e de rodado) teve a amabilidade, que agradeço, de nos enviar a sua visão sobre este espectacular Campeonato Nacional.
Porque se trata de uma perspectiva bastante lúcida e pertinaz (a qual subscrevo, no essencial, não fosse o delicado e incompreendido papel de juiz por mim exercido neste evento) transcrevo-a na íntegra. Os meus parabéns ao seu autor.
Pequeno comentário:
Afinal Portugal tem gente pensante e, acima de tudo, tem clubes que aderem em força àquilo que deverá ser a imagem de marca futura da Patinagem Artística (manifestamente o Show e Precisão - será o futuro).
Em claro contraste com um desporto ortodoxo, fechado (das figuras obrigatórias e das danças obrigatórias ao som de um "orgão de tubos" desafinados), de baixa elite e povoado com gente e pavilhões vazios.
Qualquer pessoa minimamente atenta entende que uma modalidade desportiva só pode sobreviver nesta sociedade moderna, de consumo imediato, se estiver virada para o Espectáculo, devendo este ter qualidade e magia.
Este Nacional de Show & Precisão foi um momento alto na Patinagem portuguesa. Porém, sabe a pouco.
Foi preciso lutar muito para que houvesse um Campeonato da Europa em Portugal, e, assim, obrigar a Federação a abrir o Nacional às várias categorias, quase 10 anos depois...
Pode ser que com pequenas vitórias sucessivas consigamos elevar o nível reinante. Temos um caminho imenso e sinuoso ....
Bem haja a todos!
Aqui vai:
«Pela primeira vez na história recente da patinagem artística um campeonato de âmbito nacional conseguiu encher o pavilhão!
As categorias de Show e Precisão são, de facto, as competições mais aliciantes da patinagem artística e ainda bem que a Federação de Patinagem de Portugal aplicou, finalmente, os regulamentos internacionais e abandonou os retrógadas que em muito limitavam as potencialidades deste espectáculo.
Com algum distanciamento aqui fica a minha leitura desta competição:
- à organização da prova os meus parabéns, o pavilhão é extremamente agradável e a decoração ajudou a enfatizar as performances. Contudo, apesar da qualidade dos balneários continuam a existir problemas relativamente a logística dos atletas. Bem sei que nos campeonatos europeus muitas vezes as condições são piores mas é preciso continuar á procura da qualidade.
- aos juízes parece que continua a prevalecer a subjectividade. Os contínuos períodos à espera que as notas saiam não ajudam ao espectáculo e apesar de ao longo do campeonato se perceber uma uniformização de critérios no início houve muita disparidade. Talvez a falta de experiência cultural nesta modalidade a nível internacional seja o principal factor para a desigualdade na avaliação, mas, do meu ponto de vista, seria de pensar que para ajuizar show e precisão fosse necessário possuir o curso de juíz de dança...
- aos quartetos cadetes, fiquei surprendido pela positiva. O 1º classificado “BALLS”, com larga experência nesta categoria, apresentou-se com uma coreografia arrojada que para além do grande domínio técnico dos patins e de expressão corporal ainda domina objectos externos, contudo precisa de rever a parte final do esquema para se afirmar definitivamente no eurpeu... os 2º classificados “EXOTIC DREAM” com um esquema possante e rico de movimentos devia reconsiderar o excessivo número de figuras de elevação apostando nas mais expressivas e desenvolvendo-as mais. Por fim, o 3º classificado “FANTASY”, apesar de uma patinagem mais imatura revelaram-se excelentes interpretes pelo que têm de continuar a treinar técnica individual.
- aos quartetos séniores, mesmo com o elevado nível técnico muito trabalho há a fazer. O 1ºclassificado “EDUARDO MÃOS-DE-TESOURA”, foi capaz traduzir em dança sobre patins o famoso filme de Tim Burton, e emocionou pela capacidade expressiva dos seus elementos (atletas com larga experiência) contudo parece que a coreografia precisa de algo concreto que a torne definitivamente especial, talvez uma figura de elevação... Já o 2º classificado “SIMPSONS FAMILY” precisa de apostar mais no guarda-roupa, e apesar da estrutura do esquema estar fixada tem de explorar mais as capacidade interpretativas de cada personagem. Por fim, o 3º classificado “BIRDS” surpreendeu pela plasticidade dos fatos e embora algumas falhas consegui demonstrar que é possivel voar patinando, porém precisam de consolidar a execução dos passos e a sincronia.
- aos grupos cadetes os parabéns pela capacidade de pegar em jovens atletas e demonstrarem o quão bela pode ser a patinagem artística. O 1º classificado “DISHES” parece ter aprendido muito com as participações internacionais e isso nota-se na qualidade dos seus atletas e na complexidade da coreografia. Para além da expressividade dos fatos precisa de apurar a expressão facial e corporal no trecho musical final. O 2º classificado, “CHARLIE E A FÁBRICA DE CHOCOLATE” fascinou pela capacidade expressiva dos atletas que, apesar da falta de experiência e de domínio técnico, foram capaz de contar uma história sobre patins, resta continuar madurecer as capacidades técnicas individuais. Por fim o 3º classificado “MIMOS” demonstraram uma grande evolução técnica e expressiva relativamente a outros anos, está no bom caminho, contudo, o esquema precisa de mais cruzamentos e menos posições estáticas.
- aos grupos pequenos fica o reparo de que é preciso ter cuidado com os regulamentos. O 1º classificado “CASAMENTO CADÁVER” demosntrou um elevado nivél técnico e criativo, um espectáculo plastico supreendente... espera-se novidades para o europeu. O 2º classificado “REQUIEM” sobressaiu pelo dominio técnicos dos atletas, contudo foi penalizado por não cumprir o regulamento no que diz respeito aos saltos duplos e piões de avião, mas fora isso, a estrutura da coreografia é muito interessante pelo que deviam repensar os fatos e a localização excessivamente centralizada da personagem principal. Por fim, o 3º classificado “NAIPE DE OUROS” arriscou um coreografia complexa mas estimulante, precisando resedenhar os cruzamentos nas diagonais e o cubo que pode ser considerado cenário.
- à precisão júnior os parabéns pela coragem, contudo têm muito que trabalhar, não só do ponto de vista da sincronia como também da estruturação e montagem da coreografia.
- à precisão, depois de alguma estaganção, parece que finalmente conseguiu estimular várias participações. O 1ºclassificado “MOZART IN EGYPT” salientou-se pela inovadora linguagem estética, musical e técnica numa coreografia que por ser complexa, arrojada e veloz, desencadeou pequenas falhas. Assim, é preciso reconsiderar a dificuldade técnica do esquema ou o redimensionamento da equipa uma vez que o europeu se aproxima a passos largos. O 2ºclassificado “SPIRAL” apresentou-se com uma coreografia sólida, porém peca pela falta de passos de nível avançado. O 3ºclassificado “ALEXANDRE O GRANDE” apresenta-se com uma coreografia mais complexa que a do último ano contudo precisa de treinar muito a sincronia e de introduzir mais cruzamentos.
- aos grandes grupos um grande bem haja pelo esforço de reunir uma número tão grande de atletas e conseguir montar um espectáculo. O 1º classificado "CONTAGIOUS" demonstrou que sabe adaptar-se à nova realidade. Finalmente percebe-se um trabalho racional, uma história que pretende ser contada, mesmo assim, penso que a parte inicial do esquema devia ser revista o vermelho e azul não são suficientes para comunicar o coração e os pulmões. O 2º classificado "CRAZY" pecou pela falta de experiência, num esquema que parecia ser mais de precisão do que de show, mas mesmo assim valeu o esforço. Fico á espera que este europeu seja uma lufada de ar fresco...
Em suma, foi um campeonato espectacular pela espectacularidade.
Nota-se ainda algum atraso relativamento ao panorama internacional, contudo, visto que só agora a FPP resolveu aplicar o regulamento da CEPA, espera-se rápidas e expressivas melhoras na qualidade das coreografia.
Resta desejar bom trabalho e boa sorte para todos os que irão estar presentes no europeu deste ano, a realizar-se no Porto de 26 a 28 de Abril.»

2 Comments:

Blogger arianna said...

spectacular discipline... I skate in gruppos show&sincro to monza milan and for me the best groups show of the word are Spanish and Italian

10:19 da manhã WEST  
Blogger manuel said...

REGULAMENTO DA PATINAGEM ARTISTICA
Art.55
Ficam impedidos de ajuizar em provas, quer a nível Associativo quer a nível Federativo, os Juízes de Patinagem Artística que se encontrem em qualquer uma das seguintes situações:
1.1 Exerçam a função de treinador, mesmo que o título particular, e tenham Atletas / patinadores em prova.

3:14 da tarde WEST  

Enviar um comentário

<< Home

Free Hit Counters
Free Counter