terça-feira, setembro 11, 2007

O olhar de Marta Ferreira sobre o Europeu em França


Agora temos a opinião da Atleta internacional, júnior, Marta Ferreira (terceira classificada em Livres e no Combinado neste europeu).

Muito Obrigado Marta! Parabéns . Tu mereces o sucesso. Foram muitos anos de trabalho. Chegou o teu momento de glória (ainda estou a pensar como foi possível, inicialmente, não te seleccionarem).
Aqui vai:
1- Como eram as instalações, o piso e a organização?
MARTA- A viagem foi boa apesar de ter sido bastante cansativa. Como na ida fizemos a viagem de noite passamos a maioria da viagem a dormir. Tínhamos um autocarro muito bom e a comitiva que foi connosco fez de tudo para que a viagem fosse agradável. O pavilhão em geral era bom. Apesar de não ter metade das condições que tivemos em Itália (no ano passado) ou em Tavira (em 2003) não podíamos queixar. O piso era bom. Era de granito (havia atletas que diziam que escorregavam mas para ser sincera eu patinei lá com as rodas Magnun 53 e para mim estava bom) e era bastante grande.
A organização era boa apesar de os atletas terem de se deslocar dos seus hotéis para o pavilhão nos seus autocarros, pois a organização tinha prometido que iriam ter carrinhas ao dispor das delegações o que não foi verdade. A delegação Portuguesa e a Italiana que se encontravam no mesmo Hotel tiveram que se organizar juntas para que os atletas não tivessem que sair do hotel apenas uma vez tendo de levar tudo para o pavilhão.

2- Quem está de fora fica com a sensação que a França está a fazer um grande investimento na patinagem artística. Isto é verdade? Qual a tua opinião sobre a forma e o caminho que os franceses estão a percorrer? Haverá algumas lições a tirar dos franceses?
MARTA- Sim. Na minha opinião acho que a França tem investido bastante na patinagem. Basta ver que o Campeão Europeu de Juniores em livres é francês e em dança juniores o 3º lugar também é da França. Em vários anos de competição internacional, não me recordava de ver tantos pódios franceses. Na verdade a França tem evoluído.
Sinceramente não sei de que forma nem o caminho que eles percorreram para chegar a este nível, mas acho que deve ser também muito do 'querer' dos atletas franceses e dos seus técnicos.
3- Este campeonato foi diferente do habitual porque houve países (por exemplo a Alemanha) que não participaram. O que se passou? Estamos perante uma guerrilha entre países ou entre um país e a CEPA?
MARTA- Segundo me chegou aos ouvidos, a Alemanha não participou porque os atletas alemães ainda se encontram em período de aulas e já o ano passado teriam avisado para realizarem o campeonato europeu mais tarde. Então, em forma de protesto do campeonato realizar nesta data, a Alemanha marcou o campeonato Alemão para o fim-de-semana do campeonato europeu.
Em obrigatórias sentiu-se a falta dos atletas alemães, mas em livres não.(Afinal em juniores femininos estavam a competir a campeã do Mundo Debora Sbei e a campeã da Europa do ano passado Valentina Di Paolo).Na minha opinião acho que quantos mais países em competição melhor.
4- Os níveis técnico e o artístico apresentados no campeonato foram baixos/médios/altos? Que atleta ou par se destacou pela positiva? e pela negativa?
MARTA- O nível técnico e artístico deste campeonato foi alto em Juniores Femininos/Masculinos e Seniores Masculinos/Dança e médio no resto das especialidades.
Para mim quem se destacou pela positiva foi o francês Frederic Garcia (Camp. Europeu de Juniores-Patinagem livre) que apresentou em treinos em combinação dois triplos rittberger e no programa longo apresentou a sua magnifica combinação de saltos composta por: Duplo Axel/Rittberger/Triplo Teoloop/Euler/Triplo Salshow.
Pela negativa foi a espanhola Monica Gimeno (Camp. Europeia de Seniores-Patinagem livre do ano passado) que este ano as suas prestações foram muito fracas em relação ao que todos estavam a espera (afinal tinha ganho o campeonato europeu à italiana Tanja Romano).
5- A selecção portuguesa esteve bem ? Ainda fomos penalizados?
MARTA- Sim, os portugueses estiveram bem. Acho que em geral todos nós (atletas) entramos para o ringue com vontade de dar o nosso melhor, de mostrar que trabalhamos e que evoluímos. E a verdade é que tivemos bons resultados.
6- Qual a maior diferença que se sente entre a nossa patinagem e a dos países mais desenvolvidos?
MARTA- Acho que neste campeonato já não se notou tanta diferença entre, por exemplo, Itália e Portugal.
Acho que os portugueses já começam a fazer tanto como os Italianos e acho que agora o campeonato já esta mais dividido. Deixou de ser o pódio todo de Itália e já começam a haver países como Portugal, Espanha, França, etc. a lutar pelos lugares cimeiros.
7- Do teu ponto de vista, temos (Portugal) desenvolvido ou estagnamos?
MARTA- Acho que evoluímos. Basta ver que, há uns anos atrás, Portugal competia em campeonatos internacionais só para marcar presença e agora já lutamos pelos pódios contra os melhores do mundo.
8- Há algum aspecto que merece ser falado e que não foi abordado nas perguntas efectuadas?
MARTA- Não. Em resumo, o campeonato correu 'sobre rodas'.

Mais uma vez agradecemos à Marta Ferreira as suas interessantes palavras. Até breve.

1 Comments:

Blogger Marta Baptista said...

Recordo-me de ver a Marta Patinar, mas como desliguei algum tempo da Patinagem nunca mais a vi.... Ainda Patina? Que é feito dela?

masoroba@gmail.com

10:37 da tarde WEST  

Enviar um comentário

<< Home

Free Hit Counters
Free Counter